PF cumpre mandados na residência oficial do governador do Rio de Janeiro

PF cumpre mandados na residência oficial do governador do Rio de Janeiro

A operação apura indícios de desvios de recursos públicos destinados ao atendimento do estado de emergência de saúde pública decorrente do novo coronavírus

Uma operação da Polícia Federal foi deflagrada na manhã desta terça-feira (26) com o objetivo de apurar indícios de desvios de recursos públicos destinados ao atendimento do estado de emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do novo coronavírus (Covid-19), no Rio de Janeiro. 

Ao todo, 12 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos, tanto no Rio de Janeiro, quanto em São Paulo. De acordo com a Polícia Federal, um deles no Palácio Laranjeiras, residência oficial do governador do Rio, Wilson Witzel (PSC). Apesar disso, a corporação não informou se Witzel é alvo de algum dos mandados. 

Foto: Pilar Olivares/Reuters

Elementos de prova, obtidos durante investigações iniciadas no Rio de Janeiro pela Polícia Civil, pelo Ministério Público Estadual e pelo Ministério Público Federal naquele estado foram compartilhados com a Procuradoria Geral da República no bojo de investigação em curso no Superior Tribunal de Justiça e apontam para a existência de um esquema de corrupção envolvendo uma organização social contratada para a instalação de hospitais de campanha e servidores da cúpula da gestão do sistema de saúde do Estado do Rio de Janeiro.

A ação foi batizada como Operação Placebo. Os mandados foram expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). 

O Ministério Público do Rio de Janeiro comunicou à Procuradoria-Geral da República sobre a citação de Witzel nas investigações há 15 dias. Além da residência oficial, equipes foram mobilizadas para a casa onde Witzel morava antes de ser eleito governador, no bairro do Grajaú, e no escritório de advocacia do governador. 

Um segundo alvo da operação desta terça-feira é o Iabas (Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde), a Organização Social que foi contratada pelo governo do Rio de Janeiro para construir sete hospitais de campanha no estado durante a pandemia.

O que disse Witzel? 

Em nota, o governador do Rio de Janeiro declarou que não tem participação sua em nenhum tipo de irregularidade e que está à disposição da Justiça.

D TARTAS

D TARTAS